segunda-feira, dezembro 27, 2010

Escravos


Inicialmente quando o ser humano ainda não tinha descoberto a agricultura, não havia excedentes de produção e como tal, não existia riqueza ou pobreza. Cada um apanhava aquilo que conseguia para comer. E para que tal fosse possível ajudavam-se mutuamente. Eram tempos em que a cooperação significava sobrevivência.

Posteriormente, com as melhorias técnicas e a revolução agrícola, começaram a existir os excedentes de produção. E com isso os ricos (os que tinham mais) e os pobres (os que tinham menos). Com o tempo foi-se enraizando na cultura humana que quem tem menos deve ser subalterno de quem tem mais. É natural… afinal se eles têm mais, vamos tratá-los bem para ver se nos calha alguma coisa.

Quando surgiu a pecuária, surgiu também a escravidão. E os escravos humanos, não são senão gado especializado. Gado que consegue fazer coisas que nenhum animal consegue.

Com o tempo e com a revolução industrial, chegou-se à conclusão que os escravos/gado humano, produziam mais quando tinham a ilusão de liberdade. Ou seja, tendo um horário de trabalho, “direitos cívicos” no trabalho, ordenado, etc. Os escravos amansaram, porque começaram a pensar que já não o eram… Mas a verdade é que ainda eram, ainda sou, e ainda somos… somos escravos do sistema monetário e económico. Escravos dos que têm muito só porque temos pouco (nada).

Somos escravos. E não se indignem ao ler isto mas é o que nós somos. E somos o pior tipo de escravos. Somos escravos e temos a ilusão que somos livres.

A diferença entre o mundo de hoje e o mundo do tempo em que a escravidão era legal é pouca.

Pessoalmente, sou da opinião de que para a sociedade subsistir, não é necessário existir alguém a mandar. Quem diz sociedade, diz empresa, grupo, clube, ou qualquer outra coisa onde há quem manda e quem é mandado. A hierarquia é simplesmente uma coisa primitiva e obsoleta que acentua as desigualdades e a estratificação social. Ou se quisermos, de maneira mais simplista, para esta trampa toda funcionar, não é necessário existir quem mande nos outros. A cooperação sempre me pareceu um método muito mais funcional e evoluído. E só assim acaba a escravidão.

Ao invés de cooperarmos, lutamos incessantemente uns contra os outros para sobreviver e obter um bocadinho mais. Ao contrário dos tempos da caça recolectora onde não existia  agricultura, já não é a cooperação, mas sim a competição que é indispensável à sobrevivência. 

Mas afinal, o que existe chega para todos… Chega para não haver escravos. Só que ninguém se apercebe… Somos todos gado amansado…

2 comentários:

Letícia disse...

As desigualdades e a hierarquia social são responsáveis pela violência, vícios, criminalidade. . .
A estratificação monetária destrói qualquer sociedade e essa sociedade por sua vez escraviza e aniquila o Homem... Toda a liberdade não passa de uma ilusão. A única liberdade que nunca nos poderão tirar é a nossa liberdade interior e o seu uso no desenvolvimento da nossa consciência!
Outra coisa: a tua noção de cooperação é comunismo ou preferes que não lhe coloque esse rótulo?

The one you know disse...

Os rótulos valem o que valem. Eu pessoalmente não gosto deles.

O comunismo tem alguns ideais "nobres" dum lado e bastantes defeitos do outro.

A cooperação é em meu entender um veiculo muito mais funcional de atingir o progresso do que a competição.

bjs

Related Posts with Thumbnails